Tratamento para mastite bovina

A mastite bovina caracteriza-se como a doença que compromete principalmente as vacas-leiteiras, minimizando a capacidade produtiva do animal. A doença consiste na inflamação da glândula mamária, ocasionada por micro-organismos como fungos e bactérias. Logo, é importante que o criador se atente a doença e que procure tratamento para mastite bovina adequado para a plena recuperação impedindo o contágio em todo o rebanho.

A condição é dividida em duas classes, sendo elas: mastite clínica e mastite sub-clínica, e ambos os casos devem ser tratados de forma efetiva. É importante salientar que o tratamento para mastite bovina deve ser conforme orientação do médico veterinário e o criador deve preocupar-se ainda com a prevenção da doença.

Para tornar o entendimento do tratamento para mastite bovina mais efetivo, as veterinárias da Chemitec, indústria farmacêutica do ramo agropecuário e pet, listaram os cuidados quando a condição é diagnosticada em um rebanho de produção de leite. Confira.

Mastite clínica

Caracterizada por sinais evidentes da doença, durante a mastite clínica é possível observar edema, aumento da temperatura, endurecimento e dor na glândula mamária. Pode ocorrer também o aparecimento de grumos de pus ou qualquer alteração das características do leite.

Esse tipo de mastite é muito comum em ambientes que não são mantidos uma higiene adequada, principalmente em lugares com excesso de esterco, urina, barro e cama orgânica. Nessa situação, chamamos a infecção de mastite ambiental, pois, as bactérias são oriundas do ambiente.

As mastites ambientais têm alta incidência de casos clínicos de curta duração, manifestação aguda e com maior concentração nos momentos do pré e pós-parto. As principais bactérias encontradas nas mastites ambientais são as coliformes Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae,Enterobacter sp, Streptococcus uberis, Streptococcus bovis, Streptococcus dysgalactiae e Enterococus faecium e Enterococus faecalis.

Os principais sintomas da mastite bovina clínica são:

•         Falta de apetite;

•         Inchaço ou vermelhidão nas mamas;

•         Leite com coágulos ou pus;

•         Febre;

•         Redução da produção de leite.

Tratamento para mastite bovina clínica

Para evitar esse tipo de mastite, é recomendado otimizar a limpeza do ambiente, principalmente no período seco e pré-parto. A Chemitec conta com linha profissional de desinfetantes para limpeza agropecuária.

O tratamento para mastite bovina clínica poder ser feito com o produto Gentatec – 250 mg para animais de alta produção leiteira ou Gentatec- 150 mg para animais com baixa produção. Deve ser feita a aplicação de 1 seringa em cada quarto afetado. Repetir este procedimento após a última ordenha do dia, durante 3 dias seguidos.

As tetas de uma vaca com mastite sub-clínica
A mastite sub-clínica não apresenta sintomas clínicos (Imagem: Shutterstock)

Mastite sub-clínica

As mastites sub-clínicas são caracterizadas por alterações na composição do leite, tais como aumento na contagem de células somáticas (CCS), aumento nos teores de cloro, sódio, proteínas séricas e diminuição nos teores de caseína e lactose.

Nesse quadro, os animais não apresentam sintomas clínicos, não sendo possível diagnosticá-la sem a utilização de testes auxiliares como CMT (Califórnia Mastite Teste), contagem de células somáticas no leite através da viscosidade. Tem maior prevalência do que a mastite clínica, sendo responsável por 90% a 95% dos casos da doença. São, na maioria das vezes, as mastites contagiosas de longa duração e crônicas.

As principais bactérias encontradas nesse quadro são Streptococcus   agalactidae e Staphylococcus aureus, sendo transmitida normalmente através de equipamentos de ordenha e mãos dos ordenhadores. Esse tipo de contaminação é denominado por mastite contagiosa, pois, a fonte primária de infecção é o úbere de vaca infectada. Por esse motivo é recomendado o descarte de vacas com mastites crônicas para reduzir as chances de infecção de outros animais. 

Tratamento para mastite bovina sub-clínica

No tratamento para mastite bovina sub-clínica, é aconselhado a aplicação de Gentatec Mastite 250 mg como tratamento, e Gentatec Vaca Seca para a prevenção das vacas que estão fora do período de lactação.

O medicamento trata e previne o aparecimento da mastite clínica pós-parto, diminuindo drasticamente as novas infecções potenciais no período seco e possibilitando a regeneração do tecido mamário lesado.  Vale ressaltar que a taxa de cura no tratamento das vacas secas é praticamente o dobro daquela atingida com o tratamento durante a lactação.

Para um tratamento para mastite bovina ainda mais eficiente, é recomendado o uso de um sistema de ordenha adequado e com boa desinfecção dos equipamentos. Para a desinfecção dos tetos (antes e depois da ordenha) e das mãos dos ordenhadores, recomendamos a utilização da CLOREXIDINA CETRIMIDA CHEMITEC, evitando assim o contágio entre as vacas ordenhadas.

Esses são os tratamentos para mastite bovina produzidos pela Chemitec. Entre em contato com um de nossos representantes e conheça a linha completa desenvolvida exclusivamente ao setor agropecuário.

 

Published by